28 agosto 2009

Obrigado a todos.

Mosssssee…


Pontos a reter:


"vivi na Suécia durante três anos", não te cuides não, Pedro...

"Gosto dos restaurantes de Faro, é onde eu como quase todos os dias", é caso para lhe perguntar quais são os decentes....

"respeito o Zézé Cameirinha mas eu sou melhor" e "Com a TVI se possível…tenho uma grande admiração pelo Goucha, gostava que fosse com ele. É um sonho que eu tenho é ser entrevistado para a TV"

Sem comentários, este último.

Os betos roubaram o superlativo absoluto sintético

Sempre que vou dizer qualquer coisa que acaba em íssimo, tenho medo que depois me cresça uma popa estranha, vá comprar roupa de gasolineiro e tenha o desejo urgente de possuir um monte alentejano.

27 agosto 2009

Noção da realidade

Eu até não sou muito muito de comentar futebol (excepto quando é PES), mas esta chamou-me à atenção. Face à eliminação da Liga dos Campeões, o Rui Patrício estabelece como objectivo da época vencer a Liga Europa. Eu bem sei que ele conseguiu impedir a vergonha do Sporting ser eliminado pelo Twente, mas a diferença entre o optimismo e o ridiculo parece-me que foi nitidamente ultrapassada nesta sua afirmação. Por outro lado, talvez a realidade seja sobrevalorizada...talvez a terra dos sonhos tenha as suas recompensas :)

26 agosto 2009

ASAE fecha Chalavar

O Chalavar, popular restaurante de Faro com nome de rede de pesca e visitado no passado por ilustres músicos como os Madredeus ou José Afonso, foi encerrado Autoridade de Segurança Alimentar e Económica (ASAE) por falta de higiene.

23 agosto 2009

Camaradas do Movimento!!

Vou estar por terras farenses de 5 set (sábado) a 12 set (sábado)... é mesmo p me despedir do verão.. visto que aqui já acabou...
Espero ver alguns de vocês..

Aquele abraco!

21 agosto 2009

Telemóvel vs Condução Segura

Os anúncios institucionais em Portugal deveriam também ser um pouco assim...hardcore!

http://www.break.com/index/dont-text-and-drive.html

10 design flaws no universo Star Wars

Sigam este link para 10 (engraçados ainda que pouco surpreendentes) aspectos que pouco fazem sentido no universo Star Wars:
http://blogs.amctv.com/scifi-scanner/2009/08/bad-designs-in-star-wars.php

E depois, se quiserem ver uma discussão sobre o assunto:

http://entertainment.slashdot.org/story/09/08/20/153223/Poor-Design-Choices-In-the-Star-Wars-Universe?art_pos=15

Aparentemente há fan-boys que ainda se dão ao trabalho de defender essas "falhas"...

A insustentável leveza do ser

Primeiro, o título não tem um cu a ver com o poste. Mas eu não gosto de ver o shore presidente triste, e por isso um gajo escreve uma merda qualquer no quadradinho aqui acima.

Ontem descobri que aquela história do cão que foi exposto como obra de arte numa galeria qualquer, e que supostamente morreu de fome e de sede e mais coisas assim, é uma grande treta. Aparentemente o artista alimentava o cão, dava-lhe água e o que era necessário. O cão acabou por fugir (bem, sabendo de algumas instalações que são feitas por ai não posso realmente censura-lo), alguém chegou à óbvia conclusão que o raio do cão tinha morrido por inacção, e estão reunidas todas as condições para se propagar a bela da história por tudo quanto é sitio e lado.
O mais engraçado é que, aparentemente os jornalistas que denunciaram todo este imbróglio nunca puseram os pés na exposição e não se preocuparam em saber se a historia era mesmo verdadeira. Aqui no tasco, pelo menos, a realidade que relatamos existe, nem que seja só na nossa cabeça...O que explicaria muita coisa.

Conclui-se assim o serviço publico prestado por este blogue nesta sexta feira, dia 21 de Agosto de 2009. Alguém quer vir hoje ao Augustus John beber uma cervejinha, ai por volta das 5?

ugly postcards



é assim même, mó.

20 agosto 2009

Just to brighten your day

Man Stories

1.. I was walking through the cemetery this morning and saw a guy Crouching down behind a tombstone. I said "morning." He said "no just taking a Shit".

2. When I was a kid I used to pray every night for a new bike. Then I Realized that the Lord doesn't work that way, so I stole a bike and asked him to Forgive me.

3. My girlfriend was in labor with our first child. She was shouting out "get this out of me? Give me the drugs." She looked at me and said, "You did This to me you bastard!" I casually replied, "If you would care to remember, I wanted to stick it up your ass but you said, "it'll be too painful."

4. I went to an extremely attractive female doctor today for my annual Checkup. She told me that I had to quit masturbating. I asked why and She told me, "because I am trying to examine you."

5. I was walking down the road today and saw my Afghani neighbor, Abdul, standing on his fifth floor apartment balcony shaking a carpet.
I shouted up to him, "What's up Abdul, won't it start?"

E, pasmem-se meus caros...

Yep, está um dia (e agora vou utilizar o termo científico usado pelos shores meteorologistas que trabalham no centro meteorologista que nos dá informações meteorológicas acerca da meteorologia do tempo) de merda.
Já agora, roubo também a piada da Guarda...Liverpool só tem duas estações. Inverno e a estação de comboios.

Epá, se eu não estou enganado

O Dário faz anos hoje... Parabéns!!
Se estiver enganado, bem...fica aqui na mesma.

13 agosto 2009

O futuro do Movimento está em perigo

Penso que terei que ir à Colombia "with some homies" mostrar a este tipo que só há espaço no mundo para um de nós.


Mas que cara de panasca. Um insulto a tão nobre nome.

12 agosto 2009

sem titulo

E o concerto foi mesmo muito bom, mesmo sem terem tocado esta
Resolvi não pôr título. O shôre presidente bem vai dizer isto e aquilo de não pôr título nos postes. É assim que se vê o respeitinho que se tem à autoridade do shôre presidente. Dissidência e amotinação porque se ouve que não se pôs título nos postes, quando se bebe umas cervejinhas no Zé Maria que, por uma razão qualquer já não tem tremoces. Agora, onde é que já se viu não se vender tremoces? Nunca!! Mais uma promessa eleitoral a fazer na campanha que se aproxima! Pelo direito ao tremoce quando se vai ao Zé Maria beber cerveja.
Bem, dissidência e amotinação, porque a autoridade do shôre presidente já não é o que era. Nos bons velhos tempos antes do BonJovigate...

09 agosto 2009

diarios de um emigrante (2)

26/07 Rødbyhavn

Tenho agora algum tempo livre à espera do ferry para a Alemanha, por isso vou-vos escrever um bocado sobre o meu dia de ontem.
Acordei perto das 9h em Jönköping, Suécia, na casa de uma couchsurfer bielorrussa. Tomei banho e pus-me a caminho. Passei pelo super-mercado para comprar umas fatias de queijo e dirigi-me à auto-estrada para o sul. Esperei aí uma hora, e parou um gajo grandalhão, careca e tatuado, que viajava com o filho bebé, e disse que era camionista numa empresa norueguesa e que estava de férias, para as quais tinha recebido um subsídio de aproximadamente 8500 euros. Deixou-me numa saída, uns 40km mais à frente, porque não ía na mesma direcção que eu. Recebi uma mensagem da camilla a dizer entre outras coisas que estava a atravessar de táxi a fronteira entre o Líbano e a Síria. Curiosamente o carro que parou a seguir foi de um iraquiano que não falava inglês e cujo sueco era pior que o meu. Não dava para conversar muito, então fomos o caminho até Malmö a ouvir música do Líbano e da Síria.
Não planeava entrar em Malmö, mas à distância vi o turning torso do calatrava, então lá fiquei no centro, onde o iraquiano já tinha decidido que me ia deixar de qualquer maneira, porque para Copenhaga só podia ir de comboio, segundo ele, já que os suecos nunca dão boleia, segundo ele. Fui até ao posto de turismo pedir um mapa, e a direcção do tal edifício. Quando me dirigia para lá passei num skate park, onde estava a haver uma competição internacional. Sentei-me um bocado a ver, mas quase todos os concorrentes caíam antes de chegar ao fim da prova.
Almocei junto ao turning torso e mandei uma mensagem ao pedro. Passei por um pontão com vista para a Dinamarca e para a ponte. Junto ao pontão estava um palco dentro de água, com bancadas em anfiteatro voltadas para o "mar", ontem estavam a fazer o soundcheck com uma cantora de ópera. Atravessei a cidade, uns 3/4 km em direcção à auto-estrada, até parar um sueco que ia para Copenhaga, porque trabalhava lá.
Fiquei impressionado quando descobri que a ponte desce para dentro de água e se transforma em túnel, antes de entrar na Dinamarca. O senhor deixou-me na rådhuspladsen onde se estava a preparar uma festa qualquer. Sentei-me um bocado e fui até à estação de comboios procurar um posto de turismo, mas não o encontrei. Decidi ligar à henriette, mas o telefone estava sem rede. Pensei "olha, afinal não tenho roaming". Liguei de uma cabine telefónica com umas moedas dinamarquesas que o iraquiano me tinha dado e a Henriette disse-me que autocarro apanhar para a casa dela. Andei 20 minutos à procura de um multibanco e apanhei o autocarro. Quando chegámos a casa, estavam a preparar o jantar. Moram lá 6 pessoas, mas não conheci todas, só 3 miúdas e uns amigos e namorados. Descobri que a festa que tinha visto antes era de um festival gay, lésbico, transsexual, etc, muito conhecido, que atrai gente de todo o mundo. Fui à net tentar lembrar-me de maneiras de carregar o telemóvel português mas a rede do suéco voltou.
Jantei com eles, tofu com uma salada de beterraba e batatas, a maioria deles tentou manter a conversa em inglês e o meu copo com vinho, o que soube bem. Para me mostrar agradecido, lavei a louça toda enquanto se ia conversando na cozinha. O pessoal resolveu sair, então fui com eles, todos de bicicleta à chuva. Duas das raparigas pararam antes dos outros para ir dar um mergulho no canal. Fui com elas, mas não para nadar, porque apesar de ter parado de chover entretanto, era de noite e estava vento e frio. Quando olhámos para a água, quis saltar, então comecei-me a despir até ficar de boxers mas elas despiram-se todas. Até estava boa a água, mas quando saímos estava frio, então as duas dinamarquesas despidas começaram a correr para a frente e para trás, para aquecer e secar.
Vestimo-nos e fomos ter com os outros, ao que me disseram ser um festival queer, mais alternativo e local, não relacionado com o outro já mencionado, aparentemente muito mais conhecido. Houve uma festa todos os dias da semana e ontém era o último dia, a "sex party". Não vou entrar em pormenores, mas vi gente muita estranha (e eu tenho visto gente estranha nos últimos tempos). Pedi uma cerveja e fiquei à porta de uma sala chamada "white room", com regras à entrada. Percebi que eram várias salas para entrar e praticar todo o tipo de actividades relacionadas com sexo, desde trocar carícias até BDSM. Como li que não havia problema em entrar só para observar (até porque voyerismo fazia parte das actividades), resolvi entrar, mas fui parado à entrada, para deixar a cerveja, dizer a "safe word" e assinar uma cartolina enorme a confirmar que tinha lido as regras. Resolvi acabar de beber a cerveja e voltar mais tarde, mas a henriette, que está grávida, disse que se estava a sentir mal e ia para casa, então fui com ela.
A caminho de casa a corrente da bicicleta soltou-se no meio de um cruzamento, então caguei as minhas únicas calças a pô-la no sítio.
Quando cheguei à cama, ainda abri o livro que trouxe, li o prefácio e adormeci.