13 janeiro 2010

Vídeos

Exmos. O essencial ficou por discutir! Observo que estamos a entrar numa época de crendice, do é assim porque é assim! Escuto, muitas vezes, o discurso de: Os outros (sem identificar quem), estão mal e eu é que estou bem porque o senso comum assim o quer.

Como sabem, defendo o senso comum como forma de conhecimento. O que não defendo é, que por ser senso comum, deva sobrepor ao discurso académico, nem o contrário.
O que aqui está a ser tratado são relações de poder que de neutras nada têm. Deverá, o senso comum ( por vezes muito conservador, como é o exemplo destes vídeos) ser detentor e mais poder?

O discurso predominante nos vídeos, é o da conservação de um uma replicação social da época de 1960 (e.g. Ensino da Matemática, em vez da Educação em Matemática, pessoas acríticas que não se questionam sobre a proporcionalidade da vida diária, decorar tudo, os rios, a tabuada, os Reis?). Não estou a dizer que não se deva saber a tabuada, devemos certamente. Mas, e saber usar a tabuada não será isso mais interessante?

Será esta forma conservadora de socializar os nossos jovens, aquilo que desejamos? Desejamos voltar ao pais de alguns, os Doutores, que por ter um discurso mais elaborado (e tido como verdadeiro pela maioria), decidem?

13 comentários:

  1. Preocupa-me a água, o vento e o status quo. Preocupam-me os maus, os bons e os assim-assim.
    A lógica é redundante e ser circular é que é bacano. Discussão e debate são artes do singular. Comunicação não tem que ter como objectivo comunicar uma mensagem X entre um emissor e um receptor. Não é um meio para um fim, é uma arte em si. Viva o singular.
    Não nos podemos esquecer que o quadrado da hipotenusa é igual à soma do quadrado dos catetos. Mas será mesmo? Será que 2+2 é igual a 4? Talvez não seja! Estaremos todos a ser enganados? A culpa é do Medina Carreira e do Paulo Coelho. Porquê? Perguntam vocês, porque sim!

    Hmm...esta foi uma experiência libertadora! Tenho que tentar libertar-me mais vezes destas amarras que me prendem a um desejo perverso de querer fazer sentido!

    ResponderEliminar
  2. Bem, a culpa é um bocadinho do Paulo Coelho....

    ResponderEliminar
  3. Senti a necessidade de clicar no "blogue seguinte" para ver que a culpa é realmente do Paulo Coelho e da Arquitectura.

    ResponderEliminar
  4. Desculpe Almighty mas o discurso que observo nos vídeos tem objectivos e, de neutros nada têm.

    O discurso de quem decide, esta em sintonia com o discurso dos comentadores. Se é isso que desejamos, os comentadores decide? E, porque não somos todos nós a intervir?

    2+2=4 ???

    «Educar matematicamente passa por desenvolver a capacidade de identificar e analisar modelos matemáticos do quotidiano com vista a tornar as pessoas mais críticas e dar-lhes meios e poder de intervenção social.» in:

    http://pascal.iseg.utl.pt/~ncrato/Recortes/JFMatos_Expresso_20051223.htm

    ResponderEliminar
  5. EL BIF...estás realmente a tentar procurar lógica no meu reply, quando eu próprio indico que não tem qualquer lógica? Estás realmente a procurar uma mensagem com sentido no que escrevi...se sim, não deixa de ser engraçado...ou nas palavras da Alanis, "ironic"...

    ResponderEliminar
  6. Sim pensei que quando colocas 2+2=4 estavas a evidenciar o artigo que coloquei acima, que discute o ensino da matemática e a educação em matemática. =)

    ResponderEliminar
  7. vocês todos andam a fumar umas merdas muita estranhas!

    erebrus, o teu primeiro comment tá lindo :D

    ResponderEliminar
  8. Se repares bem na letra do raio da musica vais notar que a única ironia é o facto de ter sido escrita por alguém que, no fundo, não percebe nada de ironia...

    ResponderEliminar
  9. Sim Manso...daí ter dito "nas palavras da Alanis" de forma a identificar a que interpretação do conceito me referia.
    Esperava que tu, o meu companheiro na ironia compreendesse as várias dimensões de ironia nestes comentários. Também isso, na definição de Alanis, não deixa de ser curioso.

    Mais uma moedinha, e mais uma voltinha. Andamos sempre às voltas :)

    ResponderEliminar
  10. Oops, "não deixa de ser irónico", quis eu dizer.
    Lá me fugiu a boca para o termo que a Alanis queria ter usado :p

    (Porém, "Isn't it curious?" provavelmente era less catchy :p

    ResponderEliminar
  11. as tuas dimensões de ironia são demasiadas e demasiado irónicas para um gajo como eu chegar la :)

    ResponderEliminar
  12. Pois, não entendi!

    ResponderEliminar
  13. wikipedia!

    Situational irony is the disparity of intention and result: when the result of an action is contrary to the desired or expected effect. Likewise, cosmic irony is disparity between human desires and the harsh realities of the outside world (or the whims of the gods). By some definitions, situational irony and cosmic irony are not irony at all.

    ResponderEliminar